Projeto Ecopostal incentiva a Economia Solidária por meio da costura

Projeto Ecopostal incentiva a Economia Solidária por meio da costura

Projeto Ecopostal incentiva a Economia Solidária por meio da costura

A economia solidária tornou-se, nos últimos anos, uma inovadora alternativa de geração de trabalho e renda. É também considerada uma resposta favorável à inclusão social, que privilegia a autogestão, a cooperação e a solidariedade, além de ser formada por iniciativas com motivação econômica, como a produção, a comercialização, a prestação de serviços, as trocas e o consumo.

Pensando nisso, o Instituto Nossa Senhora de Lourdes (INSL), junto aos Correios e com apoio do Centro de Referência e Asistência Social (CRAS), implementou o Projeto Ecopostal no Jardim Taquari, de Palmas (TO). A iniciativa é voltada para mulheres que não possuem emprego ou renda fixa e conta com oficinas de criação, confecção e transformação de materiais recicláveis em bolsas, sacolas, panos de prato, aventais, carteiras, capas para notebook e celular, entre outros.

O outro pilar do Ecopostal diz respeito a aulas teóricas e palestras sobre gestão e empreendedorismo, cooperativas e associações, economia solidária, plano de negócio e empoderamento social.  Como exemplo, fica a palestra sobre qualidade dos produtos dada por Jakeline Santiago, administradora de empresas especialista em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria e colaboradora do INSL. “O objetivo foi levar às participantes uma reflexão sobre seus objetivos e suas metas para a vida e dentro do trabalho que estão desenvolvendo, levando-as a analisar e concluir se estão produzindo com qualidade ou não. Falamos também sobre o mercado de Palmas, que elas precisam conhecer para ter vendas efetivas, e também sobre o preço de venda”, explicou Jakeline.

 

Economia Solidária: um modelo mais humano e justo de trabalho e geração de renda

De acordo com uma das idealizadoras e Assistente Social do INSL, Mayara Moura Guimarães, o projeto se direcionou para a Economia Solidária por ela representar um jeito diferente de produzir, vender, comprar e, se possível, até trocar o que é preciso para viver. “O objetivo do Projeto Ecopostal é incentivar a socialização entre as participantes, possibilitando a criação de empreendimentos coletivos, tais como cooperativas e associações, de foma a induzir a independência e sustentabilidade individual”, ressaltou.

Dona Marta, uma das artesãs que ensinam o ofício da costura às participantes do projeto Ecopostal, diz que é possível enxergar transformações. “Nesse período de curso, tenho percebido uma mudança muito grande nessas mulheres, desde a forma como conversam até a produção. Elas estão mais abertas e houve também um crescimento pessoal significativo”, pontuou.

 

Lucivânia de Almeida Cruz, dona de casa, mãe solteira e moradora do bairro, conta que o Ecopostal melhorou sua perspectiva de vida. “Eu fiquei sabendo do projeto por uma colega e iniciei o curso porque sempre gostei da costura. Vi também que não era apenas a costura que era trabalhada, mas outras questões sociais, como, por exemplo, a economia solidária, que eu nem fazia ideia do que era, mas que poderá ser uma fonte de renda para a minha família”, relatou.

Para Rosane Oliveira, coordenadora da Associação Nossa Senhora de Lourdes e uma das responsáveis pelo Ecopostal, além de aprenderem um ofício que pode gerar renda, as mulheres têm a chance de melhorar a autoestima e ainda criar vínculos com as demais participantes. “Nosso foco primordial é trabalhar alguns temas importantes com essas mulheres, mas, principalmente, a economia solidária através da costura”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *