Centro de Reabilitação Nossa Senhora de Lourdes realiza II Encontro de Pais e Cuidadores

Centro de Reabilitação Nossa Senhora de Lourdes realiza II Encontro de Pais e Cuidadores

Centro de Reabilitação Nossa Senhora de Lourdes realiza II Encontro de Pais e Cuidadores

Manejo e cuidados de pacientes com dificuldades motoras” foi o tema da palestra apresentada no II Encontro de Pais e Cuidadores do Centro de Reabilitação Nossa Senhora de Lourdes (CRNSL), nesta última sexta-feira (2). Os fisioterapeutas Thelma Caldeira e Calimério Neto foram os responsáveis pelo momento e o evento teve como objetivos informar os presentes sobre as principais maneiras de lidar com limitações físicas, bem como promover uma reflexão sobre a importância do papel de cada um dos envolvidos no processo de reabilitação.

De acordo com Thelma Caldeira, independente da patologia ou do fato que o acarretou em uma mobilidade reduzida, a participação da família no tratamento é fundamental. “Ajudar nos cuidados diários é importante, porém quem cuida também deve incentivar a autonomia do paciente, não fazendo por ele nada daquilo que ele consegue fazer sozinho, mesmo que gaste mais tempo. Ou seja, o cuidador deve estimular a pessoa com dificuldades motoras a fazer suas atividades de vida diária e não fazer tudo por ele”, explicou a fisioterapeuta aos convidados.

Além dessa tão importante orientação, também foram passados aos participantes, pelo também fisioterapeuta Calimério Neto, alguns cuidados e exercícios que podem ser feitos em casa com o paciente. “E se o terapeuta passa alguma atividade para que seja feita, é essencial que a instrução seja seguida pelos pais ou cuidadores. Isso ajudará o paciente a se desenvolver e se sentir mais motivado. O tempo que você passa com seu familiar que está se reabilitando também é parte do tratamento e deve ser feito com amor, carinho e paciência”, disse.

Na ocasião, Maria Sousa, mãe do André (paciente do CRNSL há mais de dois anos), contou algumas experiências passadas difíceis, com as quais foi aprendendo na marra, pela falta de conhecimento. “Aqui, no centro de reabilitação, hoje eu percebo como é importante esse momento de aprendizado e troca de experiências e como teria sido muito mais fácil lidar com os problemas, naqueles tempos tão complicados, se eu tivesse tido mais oportunidades como essa”, concluiu.

Inclusive, seguindo o gancho de dona Maria, também foi explicado aos participantes a importância de pais e cuidadores buscarem ajuda caso se sintam inseguros, tristes ou impacientes, por exemplo. “O envolvimento dos familiares no processo de recuperação pode interferir positivamente (ou negativamente) na saúde do paciente. Por isso, caso o cuidador perceba que está se sentindo pra baixo, é preciso procurar auxílio. Todos nós temos nossas fraquezas e não é vergonha nenhuma buscar ajuda”, instruiu.

Além orientar e tirar dúvidas, o evento também contou com dinâmica para relaxar a musculatura dos participantes e um questionário final para sugestões de temas e melhorias para as próximas iniciativas.

 

Contudo, para a cuidadora Lena Silva, responsável pela Aldacy (nossa paciente há mais de um ano), a palestra foi esclarecedora e muito proveitosa. “É maravilhoso sentir que a equipe nos inclui no tratamento e sabe o quanto somos importantes na recuperação do paciente”, agradeceu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *