Saiba mais sobre a fibromialgia, doença silenciosa que causa dor generalizada pelo corpo

Saiba mais sobre a fibromialgia, doença silenciosa que causa dor generalizada pelo corpo

Saiba mais sobre a fibromialgia, doença silenciosa que causa dor generalizada pelo corpo

Todos vimos a comoção provocada pelo cancelamento da apresentação por Lady Gaga no Rock in Rio deste ano. Não bastasse isso, a cantora precisou adiar também parte de sua turnê mundial até o início de 2018. E tudo isso por conta de uma doença chamada fibromialgia, a qual provoca um “sofrimento físico grave”.

No Brasil, 3% da população sofre com o problema, que acomete mais mulheres que homens e é mais recorrente entre 20 e 50 anos. No entanto, também há relatos de casos da doença em pessoas mais velhas, crianças e adolescentes.

Mas, afinal, o que é a fibromialgia?

Segundo a Sociedade Brasileira de Estudo da Dor (SBED), a fibromialgia é uma dor muscular crônica que pode atingir diversas partes do corpo. Trata-se de uma patologia que aumenta a sensibilidade dos nervos, levando ao cérebro mais informação de dor que o normal.

Quais as causas da fibromialgia?

A patologia é considerada uma das doenças mais dolorosas de nossa época e afeta drasticamente a vida dos pacientes, pois há mudanças em todo o sistema músculo-esquelético. Infelizmente não há uma causa específica para a doença, de forma que se possa prevenir, no entanto, estresse, ansiedade e desequilíbrios hormonais podem ser fatores de risco.

Como identificar a doença?

De acordo com o fisioterapeuta do Centro de Reabilitação Nossa Senhora de Lourdes (CRNSL) Calimério Neto, além das dores pelo corpo, alguns dos sintomas são fadiga persistente, distúrbios do sono, ansiedade e depressão. Além disso, para o diagnóstico, é necessário que o paciente esteja com dores há mais de três meses e em pelo menos 11 dos 18 pontos de dor da fibromialgia.

“Ainda não existe uma forma direta, como um teste específico, que confirme o diagnóstico de fibromialgia para alguém que sente dores generalizadas pelo corpo. Sendo assim, os médicos precisam fazer uma bateria de exames e procedimentos, excluindo outras possibilidades, antes de chegarem à conclusão de que seu paciente tem a doença”, explica.

Quais os tipos de tratamento?

Apesar de não ter cura, a fibromialgia tem tratamento! O ideal é buscar ajuda multidisciplinar, com reumatologia, fisioterapia e psicologia, por exemplo. Dessa forma, e contando também com o suporte de medicamentos, as dores e a ansiedade causadas pela doença podem diminuir consideravelmente.

Além disso, um tratamento complementar com atividades físicas, como a hidroterapia e o pilates (que respeitam as limitações de cada pessoa), pode melhorar ainda mais a saúde dos pacientes.

A  hidroterapia, inclusive, é muito recomendada como padrão de tratamento para pacientes diagnosticados com a doença, em função dos benefícios da imersão na água e do alívio de sintomas como dor, problemas para dormir, fadiga, depressão e ansiedade. Além disso, a prática fisioterapêutica aumenta a força muscular e a resistência do corpo, melhora o equilíbrio, fortalece o sistema imunológico e melhora da circulação periférica (reduzindo lesões de vasos sanguíneos).

 

“Acho que não tenho fibromialgia, mas sinto dores constantes pelo corpo. O que faço?”

O pilates não somente é indicado para o caso de fibromialgia, mas também para quem sente dores pelo corpo com  frequência. É uma alternativa de tratamento excelente, uma vez que alivia o sofrimento dos músculos e articulações por meio de exercícios específicos.

A fisioterapeuta e instrutora de pilates do Centro de Reabilitação Nossa Senhora de Lourdes (CRNSL) Viviane Alves conta que as atividades da modalidade são focadas no alongamento. “As técnicas podem ajudar na liberação muscular e das articulações, deixando o corpo com uma sensação de mais leveza. Além disso, os alongamentos auxiliam também na melhora e manutenção do equilíbrio e na coordenação motora”, ressalta.

Ainda de acordo com Viviane, durante a aula de pilates são trabalhados muitos exercícios que exigem uma postura impecável. “No caso de pacientes com fibromialgia, os exercícios posturais são extremamente importantes para que, no seu dia a dia, tenham um bom suporte da coluna, prevenindo sobrecarga e esforços repetitivos a fim de não gerar lesões”, explica.

No entanto, de acordo com a fisioterapeuta e instrutora de pilates, o trabalho focado na melhora do tônus muscular e da força requer muito cuidado. “Deve ser feito por um especialista, de forma moderada e em uma intensidade baixa, deixando claro ao paciente que este deve sempre avisar ao instrutor sobre seus limites, evitando um exagero e posterior aumento das dores”, alerta.

Por fim, a atividade também gera bem-estar e contribui positivamente no equilíbrio mental, além de melhorar a qualidade do sono. Ou seja, só há benefícios!

Salvar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *